terça-feira, 5 de fevereiro de 2008

Let's kick racism out of society

Em 1993, foi lançada a campanha "Let's kick racism out of football" (Vamos chutar o racismo para fora do futebol), visando acabar com agressões de torcedores e entre jogadores devido à cor da pele. Após 15 anos, a situação não mudou muito dentro dos campos.
Jogadores, sobretudo os negros, dos mais diversos países já sofreram com xingamentos e acusações racistas e até mesmo com torcedores imitando macacos. Um dos grandes alvos é o atacante camaronês Samuel Eto'o do Barcelona. O marfinense Didier Drogba também já foi vítima de manifestações racistas. Mas não é preciso ir muito longe. Em 2005, o zagueiro argentino Desábato foi detido por ofender o então jogador do São Paulo, Grafitte. No início de 2008, o zagueiro Fernando Caballero, do Huracán Buceo do Uruguai, ofendeu o meio-campo Toró, do Flamengo, chamando-o de "macaco" durante uma partida amistosa(?) entre os dois times.

E não é só no futebol. A vítima mais recente de racismo foi o piloto de F1 inglês, Lewis Hamilton. Na última sexta-feira, no circuito de Montmelò, em Barcelona na Espanha, torcedores fantasiados de macacos e vestindo camisas com os dizeres "Hamilton Family", imitaram macacos para ofender o inglês (foto ao lado). O caso revoltou ao Ministro dos Esportes da Grã-Bretanha, e deveria ter revoltado a todos.

Até quando teremos que conviver com manifestações racistas no esporte? O racismo tem que ser erradicado de nossa sociedade. É simplesmente inaceitável que ainda haja nesse mundo pessoas que se considerem superiores a outras tomando por base a cor da pele. O exemplo dos torcedores espanhóis é ridículo e uma mancha no esporte. Não é necessário somente chutar o racismo para fora do futebol, mas para fora do esporte e da sociedade em geral. Os espetáculos esportivos não podem nunca ser estragados por manifestações como essas.
Ainda tenho esperança que um dia acabarão as manifestações racistas no esporte. Afinal de contas, aos poucos o esporte e a sociedade vão evoluindo. Antigamente, era proibido aos negros participar de times de futebol e outras equipes. Depois, os negros conquistaram seu espaço aos poucos, sem dever nada aos brancos. Uma das conquistas mais importantes para a humanidade no século XX foi o fim do apartheid. Competência e pigmentação da pele são assuntos totalmente desconexos. Os negros tem muito mais a conquistar, pelos próprios méritos, já que a Secretaria da Igualdade Racial criada pelo presidente Lula, ao invés de lutar pela iguldade, só gasta dinheiro com o cartão cooperativo. É nosso dever, let's kick racism out of society.

SITE DA CAMPANHA "LET'S KICK RACISM OUT OF FOOTBALL"

3 comentários:

Rodrigo disse...

KICK IT OUT!

Tatá disse...

pois é..
o racismo nunca levará ninguém a nada.

antonio jesus silva disse...

REVOLUÇÃO QUILOMBOLIVARIANA !
Viva! Chàvez! Viva Che!Viva! Simon Bolívar! Viva! Zumbi!
Movimento Chàvista Brasileiro

Manifesto em solidariedade, liberdade e desenvolvimento dos povos afro-ameríndio latinos, no dia 01 de maio dia do trabalhador foi lançado o manifesto da Revolução Quilombolivariana fruto de inúmeras discussões que questionavam a situação dos negros, índios da América Latina, que apesar de estarmos no 3º milênio em pleno avanço tecnológico, o nosso coletivo se encontra a margem e marginalizados de todos de todos os benefícios da sociedade capitalista euro-americano, que em pese que esse grupo de países a pirâmide do topo da sociedade mundial e que ditam o que e certo e o que é errado, determinando as linhas de comportamento dos povos comandando pelo imperialismo norte-americano, que decide quem é do bem e quem do mal, quem é aliado e quem é inimigo, sendo que essas diretrizes da colonização do 3º Mundo, Ásia, África e em nosso caso América Latina, tendo como exemplo o nosso Brasil, que alias é uma força de expressão, pois quem nos domina é a elite associada à elite mundial é de conhecimento que no Brasil que hoje nos temos mais de 30 bilionários, sendo que a alguns destes dessas fortunas foram formadas como um passe de mágica em menos de trinta anos, e até casos de em menos de 10 anos, sendo que algumas dessas fortunas vieram do tempo da escravidão, e outras pessoas que fugidas do nazismo que vieram para cá sem nada, e hoje são donos deste país, ocupando posições estratégicas na sociedade civil e pública, tomando para si todos os canais de comunicação uma das mais perversas mediáticas do Mundo. A exclusão dos negros e a usurpação das terras indígenas criaram-se mais e 100 milhões de brasileiros sendo estes afro-ameríndios descendentes vivendo num patamar de escravidão, vivendo no desemprego e no subemprego com um dos piores salários mínimos do Mundo, e milhões vivendo abaixo da linha de pobreza, sendo as maiores vitimas da violência social, o sucateamento da saúde publica e o péssimo sistema de ensino, onde milhões de alunos tem dificuldades de uma simples soma ou leitura, dando argumentos demagógicos de sustentação a vários políticos que o problema do Brasil e a educação, sendo que na realidade o problema do Brasil são as péssimas condições de vida das dezenas de milhões dos excluídos e alienados pelo sistema capitalista oligárquico que faz da elite do Brasil tão poderosa quantos as do 1º Mundo. É inadmissível o salário dos professores, dos assistentes de saúde, até mesmo da policia e os trabalhadores de uma forma geral, vemos o surrealismo de dezenas de salários pagos pelos sistemas de televisão Globo, SBT e outros aos seus artistas, jornalistas, apresentadores e diretores e etc.
Manifesto da Revolução Quilombolivariana vem ocupar os nossos direito e anseios com os movimentos negros afro-ameríndios e simpatizantes para a grande tomada da conscientização que este país e os países irmãos não podem mais viver no inferno, sustentando o paraíso da elite dominante este manifesto Quilombolivariano é a unificação e redenção dos ideais do grande líder zumbi do Quilombo dos Palmares a 1º Republica feita por negros e índios iguais, sentimento este do grande líder libertador e construí dor Simon Bolívar que em sua luta de liberdade e justiça das Américas se tornou um mártir vivo dentro desses ideais e princípios vamos lutar pelos nossos direitos e resgatar a história dos nossos heróis mártires como Che Guevara, o Gigante Osvaldão líder da Guerrilha do Araguaia. São dezenas de histórias que o Imperialismo e Ditadura esconderam. Há mais de 160 anos houve o Massacre de Porongos os lanceiros negros da Farroupilha o que aconteceu com as mulheres da praça de 1º de maio? O que aconteceu com diversos povos indígenas da nossa América Latina, o que aconteceu com tantos homens e mulheres que foram martirizados, por desejarem liberdade e justiça? Existem muitas barreiras uma ocultas e outras declaradamente que nos excluem dos conhecimentos gerais infelizmente o negro brasileiro não conhece a riqueza cultural social de um irmão Colombiano, Uruguaio, Venezuelano, Argentino, Porto-Riquenho ou Cubano. Há uma presença física e espiritual em nossa história os mesmos que nos cerceiam de nossos valores são os mesmos que atacam os estadistas Hugo Chávez e Evo Morales Ayma,Rafael Correa, Fernando Lugo não admitem que esses lideres de origem nativa e afro-descendente busquem e tomem a autonomia para seus iguais, são esses mesmos que no discriminam e que nos oprime de nossa liberdade de nossas expressões que não seculares, e sim milenares. Neste 1º de maio de diversas capitais e centenas de cidades e milhares de pessoas em sua maioria jovem afro-ameríndio descendente e simpatizante leram o manifesto Revolução Quilombolivariana e bradaram Viva a,Viva Simon Bolívar Viva Zumbi, Viva Che, Viva Martin Luther King, Viva Osvaldão, Viva Mandela, Viva Chávez, Viva Evo Ayma, Viva a União dos Povos Latinos afro-ameríndios, Viva 1º de maio, Viva os Trabalhadores e Trabalhadoras dos Brasil e de todos os povos irmanados.
O.N.N.QUILOMBO –FUNDAÇÃO 20/11/1970
quilombonnq@bol.com.br