sexta-feira, 20 de junho de 2008

Imagine o poema virando fumaça...

Cinzento

A sombra cinzenta dos pensamentos
adormece por entre meus dedos
onde oscila a névoa dos segredos
perdidos no azul dos ventos...

borboletas brancas bordam sentimentos
pelo contorno dos céus
onde dançam sombrios véus
em leves movimentos...

o crepúsculo entorna nas noites vaporosas
as cinzas feitas com o sangue das rosas
leves como seda, se arrastando...

vapores flutuantes erguem- se, tristonhos
quando os astros velam os meus sonhos
e carícias de veludo vão-se esfumaçando...

by Laís Scodeler

Um comentário:

Lucas disse...

gostei muito do uso dos vocabularios e figuras de linguagens!!!
parabens lais!!
existem outros poemas q estam na minha preferencia + esse e muitolegal tb!
ABRAÇOS!!!!