quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

Ele tem bom comportamento... pode sair.


Enfim, fez-se justiça. Pelo menos um crime não virou somente mais uma estatística. Os acusados de arrastar o menino João Hélio por 7km no dia 7/2/2007 foram condenados ontem. Carlos Eduardo Toledo Lima, 23 anos, foi condenado a 45 anos de prisão; Diego Nascimento da Silva, 18, a 44 anos e três meses; Thiago Abreu Matos, 19, pegou pena de 39 anos de prisão; e Carlos Roberto da Silva, 21, foi condenado a 39 anos. Seria muito bonito se funcionasse assim.
Não funciona, por que há no Brasil uma lei que determina o tempo máximo de reclusão de 30 anos. Ridículo, não acha? Sim, mas não é ridícula o suficiente perto da lei do bom comportamento. A lei permite que com 2/3 da pena, os criminosos possam enviar um pedido à justiça para serem libertos. Isso significa que Tiago Abreu Matos e Carlos Roberto da Silva ficarão presos por no máximo 26 anos! Além disso, após cumprirem 2/5 da pena, podem entrar em regime semi-aberto. Ou seja, daqui a 16 anos eles estarão andando nas ruas novamente durante o dia, tendo somente que dormir na prisão.
Enquanto isso, cada dia mais há pais chorando perdendo seus filhos em crimes tão brutais como o que matou o menino João Hélio. E muitas vezes há reincidência dos criminosos. Como controlar? A solução passa por infra-estrutura de educação e empregos. Não adianta achar que a pena de morte vai resolver. Ela não resolve. Seria como podar uma árvore, quando ela tem de ser arrancada na raiz. A pena de morte não traria benefício algum ao país. Aliviaria a superlotação das cadeias? Não. Alguns morreriam, mas outros viriam se o problema não fosse tratado na base.
A crise do país não tem fim. O problema não é só no governo, a sociedade está cada vez mais podre. Temos um efeito dominó. A educação está em frangalhos, o que leva jovens cada vez mais cedo à marginalidade. A sociedade, ao invés de ajudá-los, cada vez mais os recusa, ampliando a criminalidade e a brutalidade dos crimes. Quando (hipoteticamente, claro) esses criminosos são presos, caem em um sistema prisional pior ainda. Mas claro, lá dentro eles tem bom comportamento, então, podem sair...

4 comentários:

freesz disse...

16 anos?
6 no maximo...
impunidade:a palavra que esta definindo cada vez mais o sistema de prisao...
é preso pra fik lá comportado...ai sai...e continua comportado?
impunidade:o brasileiro terá mesmo que conviver com essa palavra?
espero que não...

obS:jaum,otimo post!_*

Rodrigo disse...

Em 2006, na falta do que fazer eu estudei o código penal. Fiz pesquisas, entrei em comunidades sobre direito e tal. O código penal brasileiro é de 1944, ou seja, para aquela época, 30 anos de prisão era ótimo, já que ngm vivia tanto tempo. Hoje isso é ridículo. Mais ridículo ainda eram o 1/6 de pena cumprida, ganhava liberdade condicional. Hoje é com 1/3, graças ao João Hélio. Depois de tanto ler sobre código penal, eu sou a favor de prisão perpétua e pena de morte(nos casos mais graves). Acho que quem mata em tempos de paz, tem que morrer. Talvez seja um pensamento doido, mas eu penso assim. Vide oriente médio. Porque lá o índice de violencia e roubos são pequenos? Pq se roubar, corta-se a mão, se beber após as 22hs na rua, vc passa a noite na cadeia. Claro que essas regras não servem pro ocidente, são só alguns exemplos, mas pra acabar com isso, devemos ser mais severos. Não condenar a 10 anos um ladrão de galinhas e condenar a 1000 anos um político corrupto ou traficante.

Tatá disse...

isso porque o preso é comportado.. só na prisão mesmo. O Brasil tá realmente cada vez mais podre mesmo, tem gente que nem liga pra o que tá acontecendo.
ê brasil bom o nosso ;/

Abidul disse...

bom;
fui obrigado a comentar!!!
num queria, pq eu ia dizer a verdade , ou seja , ia falar mal!!!!
bom pessimo blog, pior ainda o doino dele.
estou sendo sincero!1
agora vbou ser sinpatico: belo texto. e uma triste verdade no codigo penal brasileiro mesmo!!!
concordo com cada virgula.
axo q devemos rever esse codigo q as vezes beneficia muito os detentos!!!
abraços!!!