terça-feira, 12 de agosto de 2008

O que somos...

Não somos unicamente porque precisamos
quando somos e deixamos ser...
há uma verdade no que não sentimos nem mostramos
verdade que cisma em não querer.

Os nossos abismos são de sede
sede que nos mata o não beber...
os nossos muros são ecos na parede
ecos que engolem sem saber.

A nossa embriaguez nos alucina
consome, transforma, faz sofrer
porque nós somos donos e escravos em sina
somos únicos quando podemos ter...

temos não por necessidade de vida
mas simplesmente porque nos faz viver
vivemos cabisbaixos o mundo, sem chão, sem partida
vivemos os dias a adormecer...

dormimos porque não queremos
não queremos ver
estamos sós no que seremos
pois seremos queda, sem espaço para erguer.


by Laís Scodeler

3 comentários:

Rafael Werneck disse...

A cada texto, ela se supera cada vez mais...
E estou começando a achar que continuar a falar que os textos da Laís são bons vai ficar entediante... então é só modificar o adjetivo... OS TEXTOS DA LAÍS SÃO ESTUPENDOS!!!!

Normalmente, eu sempre escrevo um pedaço que achei maravilhoso. Só que isso não vai se repetir, senão serei acusado de plágio por copiar o texto inteiro...

Espero que, ná próxima vez que entrar no MSN, você tenha atualizado mais um texto...
Beijos, Laís!!
Melhoras!!

sabrina disse...

Laís como sempre com poemas profundos! O único dom que tenho nessa vida é de dormir mais que muitos serer humanos, uma semi-ibernação! Sou praticamente uma ursa polar (risos). Amo escrever,e ficaria muito feliz se conseguisse escrever tão belamente como você Laís. Se eu fosse metade do que você é já seria muito.. ahuauhahuahu

Lhe adoro muito, por mais curto que tenha sido o nosso tempo de convivência, foi muito intenso.

Beijão Lolô!

Eduardo disse...

Laís em seu momento introspectivo ahuhauuauha Embora o poema diga verdades que dizem respeito a todos nós... com uma pitada de pessimismo eu achei mas no final faz ressoar um grande Carpe Diem
Adorei, Laís!!
Muitas saudades!